Pular para a barra de ferramentas

Como priorizar liquidez em meio a uma crise

O que é a “liquidez” de um ativo e por que ela é importante?

A liquidez de um ativo é medida pela rapidez em que é possível trocar esse ativo por dinheiro, sem perder o seu valor.

Uma comparação para servir de exemplo: um apartamento tem menor liquidez do que um título do Tesouro Direto. O tempo que se gastaria para transformar o apartamento em dinheiro é, em geral, bem maior do que a venda do título, que é em questão de dias.

É bom ressaltar que o aspecto de liquidez leva em consideração que o valor do ativo foi conservado. Afinal de contas, se eu oferecesse um apartamento de 100 mil reais por 10 mil reais, provavelmente eu venderia ele em menos de uma semana, mas a perda de valor seria imensa.

Mas o que faz a liquidez ser tão importante, principalmente em momentos de incerteza?

Eu sou estudante de Economia, e a liquidez está presente em boa parte das minhas aulas na faculdade. Por isso, eu poderia explicar como a liquidez é importante para as teorias econômicas e sobre a sua função na economia, mas não quero que você durma 😉

Então, estou aqui para trazer aspectos práticos e relevantes, que podem ajudar você a enfrentar momentos de crise e incerteza, como essa pandemia do COVID-19. Além disso, as dicas a seguir podem ser muito úteis no longo prazo, pois é melhor se prevenir do que remediar.

A liquidez no dia a dia de uma empresa

Gerenciar uma empresa é basicamente tomar decisões. E a qualidade dessas decisões influencia o andamento das operações da empresa.

Para tomar as melhores decisões é preciso de informações. Não basta “achar” que sabe algo, deve-se investigar e levantar as informações necessárias.

Uma ferramenta que fornece informações preciosas e que auxilia na tomada de decisão é o fluxo de caixa.

Tenha visibilidade sobre seu fluxo de caixa!

Eu percebo que muitas empresas podem melhorar sua gestão fazendo um planejamento de fluxo de caixa, assim terão informações mais concretas na hora de tomar decisões. E, além de ser importante planejar os próximos dias, também precisamos ter visibilidade à longo prazo.

O fato é: uma planilha de fluxo de caixa pode ajudar muito na gestão financeira de uma empresa, ou até mesmo nas finanças pessoais de uma pessoa.

Aproveito e deixo aqui um link para o site do Sebrae, que pode ajudar quem ainda não possui uma ou quer ver um exemplo:

Baixe a planilha do fluxo de caixa

Geralmente, o fluxo de caixa pode ser feito de mês em mês, ou de semana em semana. Mas em momentos de muita incerteza, como o que estamos vivendo atualmente com o COVID-19, recomendo que seja feito um fluxo considerando dia a dia.

Assim, é possível ter uma boa previsão de como serão os próximos dias, o que permite um planejamento prévio para evitar que falte dinheiro justamente no dia em que vence algum pagamento.

Atenção aos prazos

Um fluxo de caixa dia a dia também te ajudará a não perder os prazos de vencimento das suas despesas.

Todos sabemos que as taxas de multa e juros de atraso são enormes. Caso algum pagamento atrase, os juros compostos começam a agir. Caso a situação saia de controle, isso pode virar uma bola de neve.

Não olhe somente para os custos, se lembre das receitas e da relação entre os dois

Muito se fala em corte de custos, principalmente em momentos de crise.

Infelizmente, não é tão simples. No momento de decidir sobre cortar ou não determinado custo, temos que responder a uma série de perguntas para avaliar melhor a decisão. Olha só alguns exemplos:

  • “Por que eu tenho esse custo atualmente?”
  • “Se eu cortar esse custo, minha receita irá diminuir? Se sim, quanto?”
  • “O produto/serviço relacionado a esse custo é dispensável ou é essencial?”
  • “Quais consequências eu terei por cortar este custo?”
  • “Os benefícios de cortar este custo serão maiores do que os malefícios?”
  • “É possível negociar esses custos com o fornecedor?”
  • “Se eu cortar esse custo agora, como vai ser no futuro, quando eu precisar desse produto/serviço novamente?”
  • “Quais outras opções eu tenho?”

Por outro lado, podemos olhar para as receitas:

  • “O que eu posso fazer para manter os clientes que eu já possuo?”
  • “O que meus clientes atuais estão precisando? Será que eu consigo ajudá-los de alguma forma?”
  • “O que eu posso fazer para conseguir novos clientes?”
  • “Que tipo de produto/serviço eu posso oferecer que está com uma demanda alta atualmente?”
  • “Eu consigo adiantar algum pagamento para melhorar a liquidez do meu fluxo de caixa?”

Fique atento aos impostos

Nos cenários de crise generalizada, os governos costumam flexibilizar a taxação de impostos.

Por isso, vale a pena se manter atualizado quanto às medidas de combate à crise.

Basta uma busca rápida no Google ou nos sites de notícias para se atualizar quanto a isso.

Quando o empréstimo é uma opção

Outra medida do governo para ajudar as empresas é lançar linhas de crédito com juros menores do que o normal.

Isso pode ser muito útil para quem está com o fluxo de caixa desregulado. Um empréstimo pode adicionar um fôlego extra para a saúde financeira da empresa.

Mas atenção! Nunca se esqueça de planejar bem. 

Caso pense em pegar um empréstimo, adicione as parcelas no seu planejamento de fluxo de caixa para ter maior visibilidade.

Conclusão

De qualquer forma, sabemos que cada caso possui uma situação específica que deve ser analisada com calma.

Por isso, conte conosco para oferecermos também insights mais direcionados para a sua empresa ou a de seu cliente.

É só mandar um email para [email protected] e o time REEV estará á disposição para ajudá-lo!